Sonhar, Persistir ou Abdicar?

Atualizado: 5 de jul. de 2020


Blog_Persistência
Blog_Persistência

Fomos feitos para Sonhar e Realizar ou para Adormecer os nossos Sonhos?


Fazer acontecer é a única forma de pormos em prática o que acreditamos.


Todos os seres humanos são únicos. Talvez por isso a nossa impressão digital é diferente de todos os outros, talvez por isso o nosso ADN é apenas nosso. Se somos realmente únicos, porque temos tanta dificuldade em nos afirmarmos e assumirmos essa mesma diferença?


É assumindo e expondo ao mundo essa mesma exclusividade que podemos marcar o mundo, mostrando e expondo ao mundo aquilo que realmente viemos cá fazer. É assumindo quem somos e o que queremos ser nesta vida que temos a capacidade de inspirar a nossa alma e consequentemente a vida dos outros que, eventualmente, estão à espera de outros para fazerem o mesmo. É biológico. É isso que nos faz sentir realização pessoal. Nasceu dentro de cada um de nós e irá morrer dentro de cada um.

Vivemos com os nossos sonhos e crenças, que vão nascendo e evoluindo dentro de cada um de nós, muitas vezes uma vida inteira. Depois vamos adiando ou abdicando de sermos e fazermos o que realmente gostaríamos, muitas vezes, abdicando das nossas convicções, para sermos o que a sociedade, as nossas relações ou mesmo os ambientes que frequentamos, nos influenciam a sermos, aceitando que nos condicionem , nos formatem, a sermos apenas mais um, igual a tantos outros.


Entre o que sonhamos e o que vivemos e sentimos, quando realizamos já passou tempo demais para correr atrás daquilo que realmente era importante. No fundo não passou tempo demais, encontrámos sim mais uma desculpa para, mais uma vez, não darmos o primeiro passo. Acaba por ser uma escolha pessoal e não imposta por outros. Fazer a diferença neste mundo dá trabalho. Talvez porque vivemos num mundo onde o conforto se confunde com felicidade. Onde se aceita que uns podem ter direitos e outros nem por isso. Onde se incentiva muitas vezes sem consciência, que uns podem sonhar e outros não.


Somos todos diferentes mas temos que nos aceitar como iguais, nos direitos, nas possibilidades, no respeito por outros começando por respeitar a nós próprios.

Somos todos diferentes mas todos iguais. Se uns conseguem, o que nos pode impedir de conseguir também?

16 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo