top of page

Os 3 Níveis de Motivação para a Acção!

Atualizado: 5 de jun. de 2020



Já sabe o que o(a) motiva para entrar em acção? Tanto se fala de Motivação ou da Desmotivação de pessoas, o que acredito que se fala pouco é daquilo que está por detrás dessas palavras ou , mais que as palavras, dos sentimentos. Como profissional do desenvolvimento de pessoas tenho, como é hábito, encontrado formas simples de tentar dar a tão desejada consciência dos pequenos grandes “porquês” que estão por detrás dos comportamentos de cada individuo. O sentimento “motivação” está naturalmente sempre presente nas sessões de Coaching e tenho desmistificado da seguinte forma que, embora muito vaga, ajuda qualquer pessoa a começar a entender um pouco mais determinados comportamentos que cada um tem. Uns que motivam ou nem por isso. Pense primeiro na palavra “Motivação”. Depois tente vê-la da seguinte forma: Motivo+Acção (Motivo para entrar em acção). Já tinha pensado nisso? Acredito que sim. O que lhe quero transmitir é que existem 3 motivos para qualquer pessoa entrar em acção. 1º Nível - Motivo – Estímulo Externo “Tenho que fazer isto” Neste caso a pressão externa, entende-se tudo o que outros nos pedem ou nos pressionam para nós fazermos, como por exemplo quando alguém nos diz o que temos que fazer no trabalho. Aqui consideramos apenas as tarefas que não gostamos de fazer ou que não entendemos o que se pode ganhar de relevante por se estar a desempenhar essa tarefa. “Preciso que me faça este relatório até amanhã!” ou “Você tem que estar cá amanhã pelas 7h...” “Preciso que trate daquele assunto...” Normalmente a pressão externa pode ser desmotivadora, pois ninguém gosta de estar a trabalhar para os objectivos dos outros ou a fazer as “coisas” das outras pessoas de forma regular.


relogio antigo de bolso

2º Nível - Motivo – Estímulo Interno


“Devo fazer isto”

A pressão interna, entende-se tudo o que fazemos como resposta ao nosso racional. O nosso racional é aquela vozinha interna que está sempre a dizer: “Já fizeste aquilo?” , “não devias estar a fazer o relatório? Então porque é que estas a caminho do café se só falta uma hora para saires e o relatório ainda demora 50 minutos para fazer?!”

Esta é a nossa consciência a pôr-nos à prova. Normalmente acontece quando temos uma ou mais tarefas para executar mas que por falta de foco ou de simpatia para mesma, a deixamos para fazer noutra altura. Neste ponto um individuo pode sentir desmotivação quando sente que não está a fazer as suas tarefas de acordo com o que esperam dele, no entanto pode produzir motivação quando um individuo consegue sentir-se realizado por entregar as tarefas cumpridas a tempo e horas.



mulher vestida como empresária sentada na mesa de um escritório, em frente ao computador, com as mãos à cabeça como se estivesse com dor, e os olhos fechados

3º Nível - Motivo – Inspiração

“Quero fazer isto”

Aqui o estimulo é maioritariamente interno. A pressão neste caso é muito saudável, ou seja, também pode existir um pensamento “tenho que fazer” ou “devo fazer” mas é sempre acompanhado por um propósito ou um “porquê”. Aqui o individuo tem sempre a consciência do que vai ganhar com isso e como será a forma ou a altura melhor para o fazer.

Como por exemplo: “Hoje quero deixar a preparação da reunião bem feita para amanhã estar mais confiante e alcançar todos os meus objectivos!”

“Quero superar os objectivos este trimestre e por isso vou fazer mais 3 visitas por dia sendo que 1 delas tem que ser um cliente A!”

Normalmente estas acções são o resultado de uma convicção forte por parte do individuo. Ninguém o mandou fazer daquela forma, apenas acredita que aquela é a melhor forma de conseguir alcançar algo.


imagem com fundo branco e, escrito em letras pretas, what you do today can improve all your tomorrows - o que você faz hoje pode melhorar todos os seus amanhãs

Devemos motivar os outros e a nós próprios a entrar em acção sempre que possível no nível 3, pois só assim vamos conseguir o melhor resultado no desempenho de cada tarefa.


Quando executa ou delega tarefas, tente perceber em qual dos níveis esta a comunicar ou a estimular. Por outro lado, quando delega, tente sempre explicar o “porquê”, ou seja, o motivo pelo qual isso é importante e o que todos vamos ganhar com isso, pois assim estou convicto que pode ajudar a que uma tarefa que inicialmente seria executada com o nível 1 ou 2, passe a ser executada com inspiração (nível 3).


Acredito que assim, está mais preparado(a) para encarar os novos desafios de comunicação com impactos mais positivos em si e nos outros.

Seja feliz, se faz favor!


Forte abraço

Pedro Malaca


8 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page